Entrevista com Matheus Bernardes - Aluno do Curso Técnico da IENH fala sobre o intercâmbio no Chile

Estudante de Comércio Exterior realizou intercâmbio no primeiro semestre de 2017
Entrevista com Matheus Bernardes - Aluno do Curso Técnico da IENH fala sobre o intercâmbio no Chile

“Com certeza recomendo o intercâmbio a qualquer um que tenha a oportunidade de fazê-lo. É uma experiência incrível no âmbito acadêmico e no pessoal”. - Essa é a recomendação do Matheus Bernardes, aluno do Curso Técnico em Comércio Exterior da IENH, que participou de um intercâmbio no Chile entre 17 de fevereiro e 03 de agosto deste ano.

Após um semestre de aulas no Instituto Profissional Duoc UC e visitas turísticas, Matheus retornou ao Brasil e está no período de estágio do Curso Técnico. Para entender como foi a experiência do intercâmbio, algumas perguntas foram realizadas ao estudante. Confira a entrevista:

Qual foi a importância do intercâmbio para você?

Matheus - Acredito que o intercâmbio seja a maneira perfeita de vincular estudos com o conhecimento de novas culturas. Desta forma, tudo que aprendemos e observamos no intercâmbio é para agregar ao conhecimento, sendo uma experiência magnífica a qualquer um. Além de ter um peso muito grande em currículos e em toda a vida profissional

O que a experiência lhe agregou? Para você, qual será a importância disso na área profissional, como futuro técnico em Comércio Exterior?

Matheus – Essa experiência me agregou muitos conhecimentos de maneira geral, com um grande foco em conceitos da área. Creio que ampliou de maneira significativa meus conhecimentos, além de toda essa experiência internacional que poderá facilmente se converter em um diferencial para um profissional que está iniciando no mercado de trabalho.

Como foram as aulas? Estudou quais disciplinas?

Matheus – Durante a primeira semana de aula admito que fiquei assustado, pois ainda não estava acostumado com a maneira e a velocidade de como os chilenos falavam e isso também era uma dificuldade para as pessoas dos outros países da América do Sul. Após algumas semanas, já havia conseguido me habituar com o ambiente acadêmico. A DUOC proporciona muitos trabalhos em grupo e isso, com certeza, ajudou a conhecer alguns bons amigos chilenos.

Conheceu colegas de quais países? Mantém contato com pessoas que conheceu lá? 

Matheus – Sim, essa experiência me fez conhecer pessoas de diversos países, alguns de maneira mais breve e outros como verdadeiros amigos. Conheci pessoas de países como Chile, Alemanha, Finlândia, França, Venezuela, México, Argentina, Polônia, Itália, EUA, Austrália, Bolívia, Peru, Coréia do Sul, África do Sul, Holanda, Canadá, Bélgica, Turquia, Singapura, Colômbia, além de pessoas de outras regiões do Brasil. Mantenho contato com alguns amigos pelas redes sociais.

Pessoalmente, o que você destaca como habilidades que desenvolveu? Qual é a importância disso?

Matheus – Sempre fui tímido e, com o intercâmbio, me tornei mais confiante e desenvolvi a habilidade de me relacionar facilmente com pessoas de diferentes países e culturas. Acredito que essas sejam habilidades muito necessárias tanto para estabelecer networking como para se destacar em um ambiente profissional.

Nos momentos de lazer, conheceu quais lugares? 

Matheus – Realizei visita em diversos museus, Palacio de la moneda, Plaza de armas, Cerro san cristobal, Cerro santa Lucia e Valle nevado. Além disso, conheci diversos locais como restaurantes, vinícolas e bares. Também realizei uma viagem para a Argentina.

Qual dos locais mais gostou de conhecer? Por quê?

Matheus – O que mais gostei de conhecer foi o Plaza de armas e o Palacio de la moneda. Os dois locais possuem uma carga histórica gigante para o povo chileno e uma arquitetura muito bela que relembra os séculos passados.

Como foi lidar com o espanhol? Quais eram seus conhecimentos no idioma antes da viagem? Acredita que o intercâmbio oportunizou a fluência no espanhol?

Matheus – Já possuía um bom conhecimento em espanhol, pois havia feito um intensivo antes da viagem. No começo do intercâmbio, mesmo sabendo a língua, não me sentia confortável em falar o idioma deles pelo fato de ser tímido. Com o passar do tempo fui me sentido mais seguro até começar a falar a língua deles sem desconforto algum, de forma mais natural. Com certeza, a viagem de intercâmbio me proporcionou tudo que eu precisava para alcançar a fluência no espanhol.

Você indica a experiência para outra pessoa? Por quê?

Com certeza recomendo o intercâmbio a qualquer um que tenha a oportunidade de fazê-lo. É uma experiência incrível no âmbito acadêmico e no pessoal. Também é uma forma magnífica de aprendizado, tanto de conteúdo como da língua do país em questão. Além da bagagem cultural, a experiência proporciona ótimas histórias e amigos.

Atualizado em: 09/08/2017